Apresentação

APRESENTAÇÃO

Com uma magnífica vista sobre Miranda do Corvo e situada apenas a 15 minutos de Coimbra, a Quinta do Viso proporciona uma estadia relaxante e sossegada, dispondo de excelentes condições para usufruir do descanso e da paisagem em redor.
Para dormir em Coimbra (Miranda do Corvo) temos o serviço ideal para si.

AMBIENTE

Ambiente sossegado, calmo & tranquilo

DECORAÇÃO

Rústica Tradicional

RESTAURAÇÃO

Serviço de restauração disponível

PISCINA

Jardim, Parque infantil & Piscina ao ar livre

A Quinta do Viso

Este bairro nasce de uma iniciativa da Câmara quando Jaime Ramos era presidente. A Câmara comprou o terreno e loteou-o para efeito de construção de moradias. Esta antiga quinta era uma das mais importantes da vila. De resto Miranda não teve grandes propriedades, ao contrário por exemplo da Lousã, de Condeixa ou do Espinhal. Esta quinta passou pela mão de vários proprietários. Nasce com um emigrante que retorna do Brasil e constrói aquela casa que hoje está na base da estalagem que lá existe, tal como a própria arquitectura original do imóvel deixa antever. Um dos últimos proprietários foi a família Costa Santos ainda antes da família que a vendeu à Câmara, decidindo abandonar Miranda por razões familiares.
Jaime Ramos era presidente e também médico da família na altura em que a quinta passa para a Câmara. Esta fez depois o seu loteamento preservando a parte da casa de quinta logo com a ideia de que ela pudesse ter uma vocação eminentemente turística. Foi a própria Câmara que logo idealizou o projecto de um hotel ou de uma estalagem, aproveitando aquele imóvel, colocando este terreno à venda conjuntamente com um terreno na Rua Mota Pinto, junto à G.N.R., com o compromisso de que quem ficasse com
este rentável terreno tivesse igualmente que proceder à construção do hotel.
Os terrenos foram vendidos em hasta pública em 1989 e estes dois foram comprados pelo Sr. Fernando Pereira, tendo como sócio o Dr. Mendes Silva que foi presidente da Câmara de Coimbra. Este na altura tinha começado a fazer alguns investimentos em Miranda mas acabou por falecer num desastre de automóvel. Esta construção do hotel sofreu alguns atrasos pela morte do Dr. Mendes Silva, por um lado, e por outro porque a Câmara consegue naquela altura que o Centro de Biomassa para a Energia viesse para Miranda havendo a necessidade de instalá-lo. Assim aquele espaço foi alugado até que o Centro de Biomassa tivesse uma instalação.
O loteamento da Quinta do Viso assentava na ideia de ser a Câmara a promotora de investimentos na área da habitação, permitindo às pessoas terem hipótese de construir moradias e terem casa própria, mas também no pressuposto de serem investimentos
rentáveis para a própria Câmara. Esta preparava as infra-estruturas, vendia os lotes, embora a preços controlados evitando a especulação, obrigando no entanto as pessoas a construir dentro de determinados prazos. Após 1989, a quinta só voltou a ter obras estruturais já na presidência da Dra. Fátima Ramos com a construção de passeios e o arranjo da zona verde.